Criar uma Loja Virtual Grátis

Fantasmas de Hogwarts

Fantasmas de Hogwarts

 

Barão Sangrento

Barão Sangrento é o nome de um dos fantasmas que vivem em Hogwarts.
Ele é o único na escola que consegue realmente controlar Pirraça, o Poltergeist. Tem esse nome porque seu corpo é coberto de sangue prateado. No último livro da série se descobre que suas manchas de sangue surgiram de um conflito que tivera com Helena Ravenclaw, conhecida como Dama Cinzenta, filha de Rowena Ravenclaw, uma das quatro fundadoras de Hogwarts. Querendo ser mais inteligente e importante que a mãe, Helena havia roubado o diadema mágico de Rowena e fugido. À beira da morte, Rowena pediu ao Barão que trouxesse Helena de volta para que visse a filha pela última vez, confiando que ele não descansaria até fazer o que ela pedira. O Barão sempre amara Helena, mas sempre teve suas propostas amorosas recusadas. O Barão encontrou-a em uma floresta, mas ela não quis voltar. Conhecido por seu temperamento colérico, e com inveja da liberdade de Helena. Ele acabou à matando. Ao ver o que fez e cheio de culpa, apanhou a arma que usara ao matar Helena e se matou. Até hoje anda pelo castelo arrastando correntes como um ato de penitência.

 

Dama Cinzenta


A Dama Cinzenta foi Helena Ravenclaw, filha da co-fundadora de Hogwarts, Rowena Ravenclaw. Helena roubou o diadema  da mãe, que tornava quem o vestia mais inteligente, e o escondeu em uma floresta na Albânia. Em seu leito de morte, Rowena mandou um homem atrás dela com o intuito de ver a filha novamente. Helena mais tarde voltou para Hogwarts como fantasma.
Por séculos a Dama recusou-se a responder sobre a localização do diadema, somente contando a um aluno - Tom Riddle, que após achar o diadema tornou-o uma Horcrux, e escondeu-o na Sala Precisa de Hogwarts.

 

Frei Gorducho


O Frei Gorducho é o fantasma que reside na casa da Lufa-lufa. É alegre e bastante indulgente. Em Harry Potter e a Pedra Filosofal quando os primeiranistas estão esperando pela professora McGonagall voltar e os fantasmas passam por eles, Frei Gorducho está pedindo para que dessem uma segunda chance a Pirraça, o poltergeist, apesar dos problemas causados por ele.

[...] O que lembrava um fradinho gorducho ia dizendo: Perdoar e esquecer, eu diria, vamos dar a ele uma segunda chance [...]
-Alunos novos! - disse o frei Gorducho, sorrindo para eles [os alunos]. - Estão esperando para ser selecionados, imagino? [...] Espero ver vocês na Lufa-lufa! A minha casa antiga, sabe?

 

Murta Que Geme

Murta Que Geme (13 de Abril de 1930 – 13 de Junho de 1943). Ela é um fantasma que vive no banheiro feminino do segundo andar da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e está sempre choramingando, gemendo, resmungando e afastando todos do banheiro do segundo andar.
Murta é o fantasma de uma garota que morreu em Hogwarts 50 anos antes dos eventos do segundo livro. Na ocasião em que morreu, ela estava se escondendo no banheiro feminino porque Olívia Hornby estava caçoando dos seus óculos. Ela estava chorando, mas, de repente, ouviu um barulho e foi averiguar quem era. Quando abriu a porta do seu cubículo ela morreu. Isso aconteceu porque Murta olhou nos olhos do basilisco.

 

Nick Quase Sem Cabeça

Nick quase-sem-cabeça, ou cavaleiro Nicholas de Mimsy-Popington, é um personagem fictício da série Harry Potter. Ele é o fantasma residente na Grifinória em Hogwarts. Faleceu em 31 de outubro de 1492 e comemorou o aniversário de 500 anos de sua morte em 1992, em que convidou todos os fantasmas que conhece e também Harry, Rony e Hermione. Sir Nicholas virou fantasma porque teve medo de morrer.
Ganhou esse apelido pela causa da morte: Uma decapitação mal-feita (segundo ele, foram 45 golpes com um machado cego). Por isso, sua cabeça está presa por um, e apenas um, nervo ao resto do corpo.
Sempre muito arrogante, mas simpático, Nick é autoritário e sempre reclama de não poder comer nos banquetes do início de ano letivo.
No segundo ano de Harry em Hogwarts, Nick foi petrificado por olhar diretamente nos olhos do basilisco que guardava a câmara secreta do castelo, em 18 de dezembro de 1992. Só voltou ao normal em 30 de Maio de 1993.

 

Professor Binns

O Professor Cuthbert Binns é professor de História da Magia em Hogwarts. Não se sabe a idade dele, mas sabemos que quando morreu já era muito velho. Também não é mencionada a casa a que pertence (ou pertenceu).
Ele é o único professor fantasma a dar aulas em Hogwarts. Dizem que certa vez adormeceu em frente à lareira e quando acordou deixou seu corpo para trás, indo dar aulas normalmente, sem perceber que morrera. Muitos se perguntam qual é a diferença entre o professor Binns vivo e ele morto, parece que não há nenhuma.
Sua aparência é de uma tartaruga velha e enrugada.
A grande maioria dos estudantes acha que a matéria do professor fantasma, (História da Magia) é, sem a menor dúvida, a mais chata de toda a grade escolar. Enquanto Binns mergulha nas convenções de bruxos, nas revoltas dos goblins e em outros fatos que ocorreram há séculos atrás, os alunos se entregam a um estado de semi-consciência.
O problema é que o professor apenas lê suas anotações de uma maneira totalmente aborrecida, sem a menor ênfase ou emoção.
A única coisa interessante é quando Binns entra na sala através do quadro-negro, uma vez que sendo fantasma passa por qualquer lugar, mas, depois que os alunos já viram isso umas cem vezes, deixa de ser curioso.
A coisa mais emocionante que aconteceu nas aulas de História da Magia, foi em 1992, quando Hermione perguntou ao professor Binns sobre a lenda da câmara secreta. O professor, que não é chegado a lendas e mitos e trabalha apenas com fatos reais ficou surpreso, até porque nunca antes um aluno vivo ou morto o interrrompera. Mas, foi convencido a contar um pouco da história da câmara.
Essa foi a primeira vez na sua vida (ou na sua morte) que os estudantes ficaram vidrados na sua aula. Enquanto ele descrevia a história dos fundadores e um pouco da personalidade de Salazar Slytherin, entrou na lenda da criação da câmara secreta. O problema é que ele se irritou com o fato dos alunos darem tanta importância a um mito, que voltou à sua maneira chata de ensinar monologando sobre a Convenção Internacional de Bruxos de 1289, enquanto os alunos voltavam a mergulhar no torpor habitual.

 

Pirraça

Apesar de ter a aparência de um fantasma, ou seja, o espírito de uma pessoa que já morreu, ele pertence a outra categoria de criaturas mágicas. Um poltergeist é um espírito da desordem (um indestrutível espírito do caos). E de fato, ele está constantemente causando confusão, com uma série de traquinagens e malícia.
Pirraça parece um pequeno velhote usando roupas de colorido berrante e também um chapéu em forma de sino. Ele é capaz de voar e não tem substância, assim como os fantasmas, mas tem mais controle dos objetos, Pirraça consegue, por exemplo, segurar objetos para atirá-los nos outros e pode ficar invisível.
Ele é na verdade, muito mais chato do que propriamente perigoso, mas age de modo imprevisível e às vezes violento portanto é preciso ter controle sobre ele. Seu propósito é apenas causar confusão, quebrar coisas, e ser o mais aborrecedor e o mais criador de casos que for possível.
O poltergeist não dá ouvidos aos monitores, nem aos professores, nem a ninguém, exceto ao Diretor de Hogwarts e ao Barão Sangrento, o fantasma da Sonserina.
Quando Harry finge ser o Barão, sob a Capa da Invisibilidade no livro um, Pirraça fica muito assustado e obedece imediatamente à ordem de Harry para sair, demonstrando o quanto obedece ao Barão Sangrento.
O zelador, que tem que estar sempre limpando e arrumando a baderna e os estragos que Pirraça causa, é seu maior inimigo e vive tentando que o diretor expulse o poltergeist. Isso, combina bem com a afirmação de Fleur Delacour que disse que, na sua escola (Beauxbatons) um poltergeist seria expulso num vapt-vupt (imediatamente) o que parece indicar que alguém, talvez o diretor devesse expulsar Pirraça. No entanto, Rowling revelou em uma entrevista que o pirraça é um poltergeist de imenso poder, afirmando que nem mesmo Dumbledore seria capaz de expulsa-lo permanentemente de Hogwarts.
Na verdade, o porque de Dumbledore permitir que Pirraça permaneça no castelo nunca foi explicado, mas pode-se creditar ao senso de humor do diretor.
Pirraça é algo permanente no castelo de Hogwarts e nunca poderá ser retirado inteiramente.
Pirraça é vulnerável à magia, no livro seis, Harry usa a magia para grudar a lingua de Pirraça no céu da boca, então o poltergeist vai embora furioso. No livro três, Remus Lupin também usa magia para dar uma lição no Pirraça.